MB Engenharia e no Meio Ambiente

MB Engenharia que presta serviço a Prefeitura de Americana inicia em 2018 os pontos de coleta de lixo reciclável

Em 2018, Americana terá pontos de coleta de lixo reciclável
A partir do ano que vem, município contará com 30 contêineres para os chamados Pontos de Entrega Voluntária
A coleta seletiva de Americana deve ganhar um reforço a partir do início do ano que vem, com a instalação de 30 contêineres para os chamados PEVs (Pontos de Entrega Voluntária), que somará forças à coleta de porta a porta que já ocorre no município atualmente. A medida faz parte do contrato com a empresa MB Engenharia e Meio Ambiente, que presta serviço à prefeitura.
De acordo com o secretário de Obras e Serviços Urbanos, Adriano Camargo Neves, o objetivo da implantação é dar mais uma opção à população que faz a separação do lixo reciclável em casa. A compra desses contêineres faz parte de investimentos da MB Engenharia financiados pela Caixa Econômica Federal.
Medida faz parte do contrato com a empresa MB Engenharia e Meio Ambiente
Nesta semana, o prefeito Omar Najar (PMDB) anuiu o contrato de financiamento entre a prestadora de serviços de coleta e a Caixa para a compra de caminhões coletores, trator e contêineres. O contrato prevê R$ 3,7 milhões, sendo que R$ 3,5 milhões serão financiados e o restante de contrapartida da empresa.
Com o recurso, serão comprados 11 caminhões coletores, um trator agrícola, 300 contêineres plásticos e 30 contêineres para reciclagem. O superintendente regional da Caixa, Sérgio Luis Scramin, destacou que o financiamento se dá com o objetivo de melhorar o serviço público prestado. “Esse financiamento auxilia no processo de melhorar os serviços públicos com certeza”, disse o dirigente regional.
De acordo com o gerente da divisão da MB, que cuida do contrato com Americana, Alan Franco de Oliveira, os equipamentos devem chegar em cerca de 90 dias por conta de trâmites burocráticos. Ele explicou que a anuência do prefeito era necessária para atestar que a empresa de fato presta serviços ao município.
“O investimento está previsto no contrato da licitação. Esses contêineres são pontos de entrega voluntária, onde o munícipe pode dispor seus resíduos recicláveis nos containers, que ficarão em pontos de alta circulação, como praças, parques públicos. O munícipe vai até esse local, deposita, e aí entra a parte da prefeitura, que vai lá com a coleta seletiva e retira esse material, e entrega para as cooperativas”, explicou o gerente. O financiamento se deu por meio do Programa Saneamento para Todos, do Ministério das Cidades.

LIBERAL.COM.BR